segunda-feira, 26 de outubro de 2015

eu, espelho

...
Eu, espelho


No carro
parado,
à espera,
a espera converte
pedestres em passageiros,
presos do  espelho
retrovisor, escudo
que torna o vidente
invisível ao custo
de inverter o universo
em outro.

O espelho estranha
como o verbo rever
te a imagem, revive,
estrangeiro, revolve,
refaz conceitos, embora
não seja capaz de assistir
ao acidente assistido.

...

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

cafuné

...
cafuné



Estivemos lá
e agora estamos menos;
estaremos como se está
dentro de um trem:
parados, espectrais,
a paisagem em movimento:

praia cinza passando,
atrás, a partida,
à frente seus cabelos colados aos meus dedos
pela praia cinza ida.

...





quinta-feira, 15 de outubro de 2015

padaria (um segredo)

...

padaria (um segredo)


À alvorada o orvalho se esvai
na revoada de anjos – odor
de café e pão fresco. Ó, anjos
padeiros que apenas são e não
padecem, descubram-me o
paradeiro das crianças perdidas
nas noites de Carnaval, dos velhos
presos a eternas quartas-feiras de
cinzas, das sublunares meninas
que sangrarão por toda uma vida...
Ó, anjos padeiros, dividam o pão
igualmente entre os homens que
penetram mulheres na madrugada
e aqueles que penetram outros
homens, entre as mulheres que
sorvem homens na noite e aquelas
que bebem outro leite, vocês
que não veem diferenças entre
o leve e o pesado, entre o sério e o
jocoso, entre a vagina e o pênis
pois em si têm o equilíbrio do entre...
Ó, anjos por vezes odores, outras
orvalho, outras ondas, outras sêmen –
vocês que se sacrificam sombras para
que a ilusão da luz não se entre-
gue –, ao menos vocês me atendem,
ao menos vocês entendem este poeta,
ele mesmo arcanjo libidinoso e eunuco
destinado ao coito com a língua, das
asas arrancadas restando-lhe, contudo,
uma pena (da qual não é digno, entre-
tanto seja digno de), pena de morte,
talvez, de suas trombetas potentes
só um sussurro (um segredo, porém).    

...

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Blecaute, ruína e mar

,,,

Blecaute, ruína  e mar

Less than all cannot satisfy man
William Blake

1

Todas, antes, queimaram;
esta foi apagada; nunca tornou a acender.
Entretanto sua escuridão não foi a mais escura,
pois ela não soube que toda a sua geração foi a última:
a dor de acabar-se um é comum; a de acabarem-se
muitos, comum; a de acabarem-se todos, comum.

2

À noite ou de dia, penetram o corpo
da cidade de Santos sete canais;
proíbem barcos, sua água é parada.
Ruínas antes da ruína, percorre-los acalma
(como acalma percorrer estas linhas):
hábeis pescadoras, ao cabo das tormentas,
nas insalubres águas, há apenas garças,
brancas e puras almas penadas.

3

Os apocalipses são imaginados
por pessoas que morrerão
sem jamais terem visto o mar.


,,, 
Related Posts with Thumbnails